domingo, 23 de janeiro de 2011

rain

o descompasso entre suas vontades (in)conscientes e sua limitada capacidade (des)humana.
e agora que a fome de sei lá o quê mastiga sua sensatez, percebe-se numa encruzilhada, bem parecida com a do 'crossroads'.
Somente ele, botina desconfortável, pele de carneiro amarrada na cintura, calor insuportável...
Repara
no
rubi no chão,
esquecido, inexistente até aquele desconfortável momento.
Ele pega e come.
Pra que mastigar?
Come rapidinho.

Depois cospe no parâmetro das relações humanas, chuta a estética,
pisa com bastante força no sistema imperialista do capital.
Cansou de ver essas merdas humanas, infinitas escrotidões.
O planeta virara um falacioso inferno. O exército da mentira dominou a mente de cada ser-humano. Caos absurdo e absoluto.

E de repente, sem mover um músculo, diz:
-É, vou tentar de novo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário